Get Adobe Flash player
Quarta, 17 Maio 2017 02:54

Sesau assegura cirurgia cardíaca inédita para aposentada de 93 anos

Mãe de 17 filhos, ela reside em Rio Largo e sofria de estenose aórtica severa

O dia das mães para a dona Rita Tereza de Oliveira, que teve 17 filhos, será mais especial nesse ano de 2017. Isso porque, no auge dos seus 93 anos, ela passou por uma cirurgia endovascular, corrigindo uma estenose aórtica severa, que já trazia cansaço e desconforto há dois anos para a alagoana de Rio Largo. A cirurgia foi a primeira realizada pelo Sistema Único de Saúde em Alagoas e garantida por meio do convênio firmado entre a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), o Hospital do Coração de Alagoas e a Fundação Cordial.

A cirurgia endovascular substitui a técnica convencional, onde é necessário abrir o peito do paciente e parar o coração. Procedimento que poderia durar até 12 horas, o que aumentaria o risco para os pacientes idosos ou pessoas com a saúde fragilizada, a exemplo da aposentada Rita Tereza de Oliveira, devido as mais de nove décadas de vida. 

O procedimento foi realizado pelo cardiologia José Wanderley Neto, que é um dos destaques da cardiologia nacional. Segundo explicou, a paciente chegou ao hospital apresentando uma condição extrema de saúde, onde até ficar sentada a deixava cansada.

“Por causa desse quadro, somado a idade de dona Rita, a cirurgia convencional foi descartada na mesma hora, sendo a única saída usarmos esse método moderno, colocando uma prótese dentro de um cateter, por uma pequena incisão feita abaixo do peito, perto do coração, onde ela é expandida na valva aórtica, visando corrigir o problema”, salientou o médico, informando que o procedimento teve uma duração de aproximadamente 90 minutos, o que também ajudou a reduzir os riscos da cirurgia.

A filha de Rita Oliveira, Maria Salete de Oliveira, relatou que a mãe sempre viveu sozinha, mesmo com a idade tão avançada, e que somente no mês passado, passaram a morar juntas. “Minha mãe fazia tudo sozinha em casa, só que às vezes cansava. No último mês, eu e meus irmãos percebemos que ela estava cansando mais do que o normal, então ela veio morar comigo”, contou a única mulher dos 17 filhos que dona Rita deu à luz.

Maria Salete disse que ela passou 22 dias internada no Hospital Geral do Estado (HGE), devido ao cansaço extremo que a mãe aparentava. “Quando estávamos no HGE, a equipe de cardiologia nos informou que seria necessária a realização de uma cirurgia. Toda a família, de imediato, foi contra, pelo risco que uma pessoa de 93 poderia correr. Mas logo que minha mãe soube da possibilidade ela quis fazer o procedimento, com a esperança de melhorar dos cansaços”, disse.

Recuperação – Sobre a recuperação da paciente, o médico José Wanderley Neto explica que, devido a idade, a recuperação é mais lenta, mas dona Rita terá uma qualidade de vida melhor, visando manter a vontade e determinação de viver. “As únicas recomendações que devem ser feitas nesses casos, por causa da idade, é o tratamento continuo da hipertensão que a paciente apresenta, mantendo um acompanhamento com um cardiologista”, alertou o médico.

Dona Rita de Oliveira já saiu da UTI e está no quarto se recuperando para receber alta médica no início da próxima semana, o que significa que o dia das mães será comemorado no hospital. Mas, “mesmo a gente passando o domingo aqui, estou muito feliz por saber que minha mãe ganhou uma nova oportunidade ao meu lado, dos meus irmãos, dos netos e dos bisnetos”, disse Maria Salete emocionada.

Procedimento Inédito – José Wanderley Neto disse que essa primeira cirurgia endovascular realizada pelo SUS abriu os caminhos para mostrar que a técnica é a maneira mais correta para tratar dos idosos cardíacos de Alagoas. “Essa cirurgia foi a primeira de muitas outras, pois o sucesso obtido com a senhora Rita de Oliveira, mostramos que poderemos ampliar para outros idosos, principalmente diante do envelhecimento da população”, destacou o cardiologista.

Para o secretário de Estado da Saúde, Christian Teixeira, a implantação desse serviço mostra o compromisso do governo do Estado com a ampliação os serviços de saúde para o tratamento das pessoas idosas. “Alagoas é o primeiro Estado a oferecer esse tratamento pelo SUS, buscando sempre inovar, com tecnologias modernas para melhor atender os alagoanos, sempre pensando em diminuir o sofrimento do cidadão, permitindo que tenham uma recuperação mais rápida e com maior qualidade”, afirmou.

As cirurgias endovasculares para os usuários do SUS estão sendo realizadas no Hospital do Coração de Alagoas. Antes de ser submetido ao procedimento, ele deve passar por uma equipe multidisciplinar da unidade, onde fará uma avaliação com cardiologistas clínicos, cirurgiões cardiovasculares, ecocardiografistas e hemodinamicistas.

De: ASCOM - SESAU AL

 
Última modificação em Quarta, 17 Maio 2017 03:06

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Veja Também