Get Adobe Flash player
Sexta, 25 Agosto 2017 14:54

Novo remédio para insuficiência cardíaca reduz mortes em 20%

Medicamento chega às farmácias do Brasil esta semana e poderá substituir tratamento que se mantém o mesmo há 20 anos

Chega esta semana às farmácias brasileiras uma nova classe de remédio para tratar insuficiência cardíaca que, segundo estudos, é capaz de reduzir em 20% o índice de morte desses pacientes e em 21% o número de internações. Isso promete melhorar muito o difícil prognóstico enfrentado até hoje por quem tem insuficiência cardíaca - apenas metade dessas pessoas está viva cinco anos após o diagnóstico.

O medicamento, chamado de Entresto - feito com as substâncias sacubitril e valsartana -, surgiu a partir de um estudo realizado na Escócia, teve aprovação nos Estados Unidos e na Europa cerca de dois anos atrás e conseguiu, agora, a definição de seu preço em terras brasileiras, após obter a aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa): uma caixa com 28 comprimidos do medicamento custa R$ 147.

Para o principal autor do estudo chamado de Paradigm-HF, que levou ao desenvolvimento do remédio, será possível mudar radicalmente o modo como esses pacientes são tratados a partir de agora:

"Os resultados impressionantes do estudo Paradigm-HF me levam a acreditar que, uma vez aprovado, o LCZ696 [antigo nome do Entresto] poderia rapidamente substituir o principal tratamento utilizado há mais de 20 anos, os inibidores da ECA",  comentou o principal pesquisador, John McMurray, no final de 2015, ocasião em que o Comitê para Produtos Medicinais de Uso Humano (CHMP), órgão europeu, concedeu parecer positivo em relação ao medicamento.

O estudo liderado por McMurray, maior pesquisa clínica já desenvolvida para insuficiência cardíaca, envolveu mais de 8 mil pessoas e comprovou que esse medicamento é mais eficaz do que o que já existe de melhor atualmente, possibilitando que os pacientes acima de 65 anos vivam quase 1,5 ano a mais.

O pedido de aprovação do remédio à Anvisa foi submetido em junho de 2015, e, desde então, a expectativa era disponibilizar o medicamento aos brasileiros ainda no primeiro semestre de 2017.

Os principais sintomas da insuficiência cardíaca são falta de ar, fadiga, retenção de líquidos, inchaços nos tornozelos e pés e dificuldade de dormir, o que impacta de modo significativo a qualidade de vida. Ainda que milhões de pessoas vivam com o problema, a maioria delas tem dificuldade de reconhecer os sintomas ou os associam a sinais do envelhecimento.

Do gazetaonline

 
Última modificação em Sexta, 25 Agosto 2017 14:58

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Veja Também