Imprimir esta página
Sexta, 26 Janeiro 2018 00:58

SBC elogia o serviço de diagnóstico e tratamento cardíaco em Alagoas

Entidade parabeniza HGE pelos avanços que tornaram Alagoas um dos mais atuantes do Nordeste

Alagoas avançou nos cuidados cardiológicos e se tornou um dos estados mais atuantes no Nordeste Fotos: Carla Cleto

 

A Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) classificou, em seu jornal mensal, como “muito bem estruturado” o programa implantado no Hospital Geral do Estado (HGE) para diagnosticar e tratar o Infarto Agudo do Miocárdio (IAM). O serviço funciona desde 23 de junho de 2016, graças à parceria firmada entre a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) e o Hospital do Coração de Alagoas.

De acordo com a publicação, que pode ser encontrada no site <jornal.cardiol.br>, após duas décadas de atraso em relação à maioria das unidades federativas brasileiras, agora Alagoas avançou nessa linha de cuidados e se tornou um dos estados mais atuantes no Nordeste. Os números utilizados na publicação datam dos primeiros 12 meses de funcionamento da Unidade de Hemodinâmica Doutor João Fireman.

Apesar do quantitativo já expressivo (364 angioplastias primárias realizadas), é ressaltado que esse número progrediu e se estendeu a outros serviços que também são oferecidos aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS).

Para se ter uma ideia, só cateterismo foram realizados 748 em 2017. Angioplastias primárias foram 240; e 203 secundárias. O estudo eletrofisiológico também foi incluído entre os serviços no ano passado e já foram atendidos 47 alagoanos.

Também foram feitos oito procedimentos de ablação, dedicado a pessoas que sofrem de arritmias cardíacas, e 81 marca-passos foram disponibilizados aos cidadãos que precisavam estabelecer e manter a atividade rítmica do coração.

A importância desse investimento do Governo do Estado é defendida pela SBC através de uma análise feita com dados do período entre 2010 e 2014, disponibilizados pelo Departamento de Informática do SUS (DataSUS).

“Apenas seis angioplastias primárias foram realizadas no Estado em um universo de aproximadamente 3 mil infartados. (...) A análise apontou ainda mortalidade de 19% em 2014 e que, em determinados períodos, chegou a atingir 26% no interior do Estado”, expõe trecho da publicação, ressaltando que a situação mudou a partir de 2016.

Para o gestor da Sesau, Christian Teixeira, o investimento no tratamento de doenças do coração representa a vontade do Governo de Alagoas de cuidar melhor do seu povo, seja com a construção de mais hospitais, que há décadas não acontecia, seja pelas melhorias que estão sendo inseridas nas unidades já existentes.

“Só no HGE reforçamos os serviços de nefrologia, cardiologia, reumatologia, neurologia e levamos os cirurgiões-dentistas para a UTI. Também adquirimos oito novas máquinas de hemodiálise, realizamos reparos prediais e entregamos duas novas ambulâncias de transporte de pacientes. Contudo, Alagoas está se posicionando na frente e tem avançado na velocidade que o alagoano precisa”, avalia o secretário de Estado da Saúde.

Do agenciaalagoas

Última modificação em Sexta, 02 Fevereiro 2018 01:38

Mais recentes de

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar