Imprimir esta página
Sexta, 16 Fevereiro 2018 04:26

Pesquisa: 70% dos brasileiros são sedentários

Prática de exercícios físicos faz bem ao coração, mas antes de iniciar as atividades é necessário fazer uma avaliação médica

A prática de exercícios físicos é um ponto importante para a saúde do coração. Por isso, de acordo com o médico Luiz Fernando Kubrusly, diretor clínico do Hospital VITA Batel, abandonar o sedentarismo e realizar diariamente meia hora de atividades físicas é aconselhável para prevenir doenças e melhorar a qualidade de vida.
 

Pesquisas da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) mostram que o sedentarismo é um problema que vem crescendo significativamente no Brasil. A população atual gasta bem menos calorias por dia do que gastava há 100 anos. Atualmente, 70% da população brasileira não pratica exercícios físicos regularmente. Por isso, os problemas de coração já matam mais do que a hipertensão, a obesidade, o colesterol alto, o diabetes e o tabagismo. A vida sedentária pode ser responsabilizada por 54% do risco de morte por infarto e por 50% do risco de morte por derrame cerebral - principais causas de óbito no País.

A SBC recomenda que pessoas com menos de trinta anos sem patologias cardíacas, ortopédicas e respiratórias, ou sem fatores de risco (obesidade, tabagismo, hipertensão, diabetes, histórico familiar para doenças cardiovasculares), podem iniciar atividades físicas leves sem acompanhamento profissional. Porém, acima dos trinta anos é aconselhável passar por uma avaliação médica, principalmente quando houver presença de fatores de risco.

Segundo Kubrusly, com a avaliação clínica, além de evitar exposição aos riscos das atividades físicas e constatar que a pessoa não apresenta nenhum fator de risco, pode-se indicar a melhor atividade e a intensidade de esforço que deve ser praticada. "Desta forma, obtém-se resultados melhores e mais rapidamente", explica.

O médico ressalta que, ao realizar atividades físicas, além de melhorar a saúde em todos os aspectos, é possível treinar o coração e usá-lo como um guia para ajudar a obter os resultados desejados. Além disso, personalizar os treinos de acordo com os objetivos é primordial.

Ao observar o funcionamento do corpo, especialistas concluíram que há faixas de batimentos cardíacos nas quais o organismo responde de forma diferente a cada uma delas - as chamadas Zonas de Batimentos Cardíacos Alvo ou Zonas de Treinamento. Existem faixas nas quais a pessoa deve se exercitar para alcançar cada objetivo que deseja: perda de gordura, aumento de resistência física, entre outros.

Sedentarismo - É definido como a falta ou a grande diminuição da atividade física. O conceito não é associado necessariamente à falta de uma atividade esportiva. Do ponto de vista da Medicina Moderna, o sedentário é o indivíduo que gasta poucas calorias por semana com atividades ocupacionais. Para deixar de fazer parte do grupo dos sedentários o indivíduo precisa gastar no mínimo 2.200 calorias por semana em atividades físicas.

Doenças associadas à vida sedentária - Hipertensão arterial, diabetes, obesidade, ansiedade, aumento do colesterol, infarto do miocárdio são alguns dos exemplos das doenças às quais o indivíduo sedentário se expõe. O sedentarismo é considerado o principal fator de risco para a morte súbita, estando na maioria das vezes associado direta ou indiretamente às causas ou ao agravamento da grande maioria das doenças.

Para deixar de ser sedentário - Praticar atividades esportivas como andar, correr, pedalar, nadar, fazer ginástica, exercícios com pesos ou jogar bola é uma proposta válida para evitar o sedentarismo e importante para melhorar a qualidade de vida. Recomenda-se a realização de exercícios físicos de intensidade moderada durante 40 a 60 minutos de 3 a 5 vezes por semana;

Exercer as atividades físicas necessárias à vida cotidiana de maneira consciente.

Recomendações básicas para fazer exercícios com segurança - Seguir o bom senso e praticar exercícios como um hábito de vida, fazer exercícios com prazer, sentindo bem-estar antes, durante e principalmente depois da atividade física. O exercício não precisa e não deve ser exaustivo se o propósito for a saúde.

Frequência cardíaca - Na atividade diária, a maioria das pessoas não faz exercício que permita desenvolver adaptações positivas e significativas para a saúde. Através da prática desportiva, sob a orientação de um profissional, pode-se prescrever e orientar o treino de acordo com os objetivos, respeitando limites e características, e melhorar a saúde e a qualidade de vida.

A frequência cardíaca é um bom auxiliar para a prescrição e controle dos treinos. Com isso, é possível determinar a zona de treino na qual a pessoa se encontra, ajudando a regular a intensidade do esforço realizado e ainda a controlar o nível de recuperação durante os intervalos e após finalizar a atividade. Entender e saber utilizar a frequência cardíaca, pode assumir uma grande importância par atingir o resultado desejado.

A frequência cardíaca é um indicador do trabalho cardíaco, geralmente expresso como o número de batimentos cardíacos por minuto (bpm). Pode-se vigiar os valores em repouso, recuperação ou após esforços máximos, podendo ser usada para diferentes fins (com informações Central Press).

Do Bonde

Mais recentes de

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar