Get Adobe Flash player
Segunda, 11 Junho 2018 17:06

Oito dicas para manter seu coração no ritmo durante a Copa

Falta muito pouco para a Copa do Mundo na Rússia.Mas em meio às trocas de figurinhas, discussões sobre a escalação e produção de enfeites para as ruas, fica uma dúvida: seu coração está preparado para torcer pelo Brasil?

Com ansiedade, stress, angústia, medo, e até um susto bem grande, como no inesquecível episódio do 7x1 da ultima Copa, é normal sentir batimentos mais acelerados ou descompassados. Entretanto, quando existem fatores genéticos e doenças cardiológicas pré-existentes, uma oscilação muito grande e repentina pode inspirar cuidados, especialmente para quem já sofre de algum tipo de arritmia cardíaca. Não à toa, diversos estudos profissionais já foram feito ao longo dos anos a este respeito.

O cardiologista membro da Sociedade Brasileira de Arritmias Cardíacas (SOBRAC), Dr. Leandro Zimerman, explica que momentos de ansiedade ou raiva podem aumentar o tônus adrenérgico e a estimulação simpática do coração, com aumento de frequência cardí­aca, resistência vascular e pressão arterial. “Estas alterações, por sua vez, levam a um aumento de demanda de oxigênio e risco aumentado de lesão vascular, potencializando a ruptura de placas. Estas adaptações podem levar a arritmias tanto por efeito direto como pelo desencadeamento de síndromes isquêmicas agudas”, conta o médico.

Diante disso, a SOBRAC reuniu algumas informações básicas a respeito do tema para ajudar aos que forem torcer pelo hexa do Brasil a manterem o coração na batida certa.

1)   Cuide da quantidade e qualidade do sono. Se você já sofre de ronco e apneia obstrutiva, saiba que quando crônico o problema pode levar ao desenvolvimento de uma arritmia. Portanto, é muito importante assegurar o controle destes distúrbios e garantir algumas horas necessárias para o descanso completo do corpo. Cuidado em dias pré-jogo: o cansaço gerado por uma noite mal dormida pode ser um problema.

2)   No bar ou em casa é comum reunir os amigos e consumir petiscos gordurosos, com excesso de sódio/sal. Para quem já é obeso ou hipertenso, diabético ou tem o colesterol alto, o alimento somado às emoções exacerbadas pode se tornar uma bomba relógio para o coração. A dica aqui é substituir os embutidos, frituras e afins por sementes, picles e seus correlatos.

3)   A dica para a alimentação também vale para a bebida. O álcool, também comum em meio à torcida, atua como excitador, acelerando o coração. Esse fator desencadeia fibrilação atrial e extra-sístoles, que se potencializam em casos de pessoas que já tenham o quadro de arritmia cardíaca. Se não der para passar à base de água e suco, vá de cerveja sem álcool. De qualquer forma, é sempre bom se manter bem hidratado

4)   A partida está tensa e deu vontade de fumar um cigarro? Cuidado! A nicotina, assim como substâncias com cafeína, influencia na liberação da adrenalina, que naturalmente acelera os batimentos cardíacos. Portanto, evite! Se a vontade for muita, chupe uma bala ou petisque coisas saudáveis.

5)   Respire! Pode parecer clichê, mas inspirar profundamente, indo até o limite da capacidade dos pulmões, ajuda a desacelerar e controlar taquicardias;

6)   Não se irrite em demasia! Discussões e brigas aumentam a pressão arterial e os batimentos, podendo desencadear arritmias perigosas, infarto ou derrame.

7)   Com a ansiedade para a competição, alguns hábitos podem ser esquecidos. Se você toma alguma medicação para arritmia, coloque um alarme no celular relembrando este compromisso. Não interrompa seu tratamento;

8)   Nunca se automedique, nem mesmo numa final! Seu médico é o único capaz de prescrever a dosagem e duração correta de qualquer remédio.

Por sim, não pense duas vezes antes de procurar ajuda especializada ao sinal de alguns sintomas como desmaio ou tontura forte; palpitação (sensação do coração batendo descompassado) e dor no peito.

  

Da Sobrac
Última modificação em Quarta, 13 Junho 2018 11:04

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Veja Também